Moradores da região de tapiranga em Miguel Calmon, buscam solução para o término de 29 casas do

Publicado em 03/05/2018 às 01:06h


Na manhã da última segunda-feira, 30 de abril de 2018, aconteceu mais uma reunião do Conselho Municipal de Apoio Comunitário Rural - COMACOR, na cidade de Miguel Calmon-BA, no sindicato dos Trabalhadores Rurais.
A reunião que acontece todo mês e que tem como finalidade discutir os problemas de cada comunidade buscando solução para os mesmos junto aos poderes executivos municipal e estadual, contou com a presença do gerente do banco do Brasil de Miguel Calmon, que esclareceu dúvidas e trouxe propostas para os agricultores e pecuaristas do municipio.

Na oportunidade, uma moradora do povoado de Leonardo, pertencente ao municipio de Miguel Calmon, questionou ao gerente sobre 29 casas do programa Minha Casa Minha Vida, que teria sido financiada pelo banco do Brasil, tendo como empreiteira responsável a empresa "Instituto Dez Brasil", e que estão paradas há cerca de 6 anos, segundo moradores, sem solução.
O gerente do banco ressaltou que assumiu a agência recentemente e que não estava a par daquela situação, mas se prontificou a analisar junto aos moradores, a situação e andamento da referida obra e se há alguma pendência por parte da instituição Banco do Brasil.

No mês de março/2018, o Calmon Noticias postou uma matéria atendendo um questionamento dos moradores do Leonardo, onde falamos com o representanmte da empresa (instituto Dez Brasil), Sr. Célio Azevedo, e o mesmo teria dito que uma outra empresa iria assumir a construção das casas no mês de abril/2018, o que não aconteceu até o momento.

Os moradores temem que o nome deles vá parar no SERASA, por conta de um parcelamento que vem em nome dos beneficiários. "Como que a gente vai pagar uma coisa que não recebemos"? Ressaltou uma das "beneficiadas".

Em conversa com a nossa redação, alguns moradores pretendem buscar solução na justiça para solucionar o caso.

 

Da redação/Calmon Noticias.

 

 

 

 

 

Publicidade

Topo