Pesquisadora apresenta projeto de pesquisa sobre uso de agrotóxicos em Miguel Calmon e preocupa ambientalistas e agricultores – veja matéria completa.

Publicado em 29/11/2017 às 00:45h

 Na manhã de segunda feira 27 de novembro de 2017, no auditório do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Miguel Calmon-BA, aconteceu a apresentação dos resultados do Projeto de Pesquisa Vulnerabilidades e Situações de riscos relacionados ao uso de agrotóxicos por agricultores em Miguel Calmon-BA.

Um evento de grande importância para os agricultores e para a população em geral, visto que os números revelados em relação à quantidade de agrotóxicos usado pelos agricultores de Miguel Calmon, inclusive alguns de uso proibido, são considerados altos.

O projeto é da professora calmonense, Rosimeire Morais Cardeal Simão, que atua na Secretaria de Educação do Estado da Bahia, e foi apresentado por Cheila Nataly Galindo Bedor, professora da Universidade Federal do vale do São Francisco e Elder, professor de agronomia.

Os dados mostrados durante a apresentação deixou agricultores, representantes de associações e os demais presentes, assustados. Veja alguns dados apresentados.
De acordo com a pesquisadora, 11% das pessoas que foram entrevistadas afirmaram já ter sofrido intoxicação por agrotóxicos; 30% apresenta algum tipo de doença sendo mais prevalente a cardiovascular seguida de distúrbios osteomusculares. Ainda segundo ela, etilismo foi relatado por 40% da população estudada.
Dados da secretaria de saúde mostram que 12% das mortes no município de Miguel Calmon, é por câncer.

A apresentadora alertou que o uso desordenado de agrotóxicos como vem sendo feito no município, incide na causa de doenças como infertilidade, alzheimer, hipertensão, câncer, dentre outras. De acordo com Cheila, a depressão e o suicídio (muito presente no município) também podem estar ligados ao uso de agrotóxicos.
Na parte da tarde houve uma “mesa redonda” com os professores (as) da UNIVASF, responsáveis pela apresentação do projeto, e representantes de associações, secretarias e outros órgãos do município, com o propósito de discutir possíveis soluções para o problema.

Ambientalistas e representantes de outras entidades no município como Lando Lima, que já foi secretário de agricultura no município, Zelis Pereira, Gestor do Parque das Sete Passagens e o Vereador Fabian Carvalho, que também estiveram presentes na tarde, demonstraram profunda preocupação com o problema.
Zelis Pereira sugeriu uma audiência pública para que o problema seja discutido com a população e demais órgãos públicos de Miguel Calmon.
Foram traçadas também várias outras estratégias dentro do tema proposto, que poderão ser discutidas na audiência pública.

Vale ressaltar que o trabalho apresentado teve apoio do Conselho Municipal de Apoio Comunitário Rural - COMACOR, de MIguel Calmon.

 

 

 Fotos: João do CLone

Da redação/Calmon Noticias

 

 

Publicidade

Topo